Mais de mil militantes do PCdoB registraram presença na live que fez o lançamento das conferências ordinárias, municipais e estaduais, do PCdoB, que ocorrem desde 15 de agosto até 15 de novembro. O evento online ocorreu no dia 21, às 19 horas, e mais que triplicou a expectativa de participantes que havia. 

“Quero agradecer realmente o esforço, a mobilização que todos fizeram, para que a gente tenha aqui esse público, que é um público dos municípios, das nossas organizações de base, e é isso que vai fazer com que a nossa conferência seja muito exitosa”, agradeceu Nádia Campeão, secretária de Organização do PCdoB.

O encontro teve a participação da presidenta nacional do Partido e ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação, Luciana Santos e da líder da bancada do PCdoB na Câmara, deputada Jandira Feghali (RJ). Elas atualizaram a análise de conjuntura e apontaram o objetivo de reunir a militância de base para discutir em todas as instâncias do Partido a resolução do Comitê Central sobre as conferências locais e os documentos de conjuntura do Partido.

Nádia, junto com os militantes de base José Carlos Negão, militante do Sindicato dos Condutores e do combate ao racismo e Nilda Neves, coordenadora do MDM (Movimento pelo Direito à Moradia), explicaram que o processo de Conferências ocorre a cada dois anos, coincidindo, portanto, em 2025 com o próximo Congresso do PCdoB. Os militantes de base apontaram a importância de não apenas realizar assembleias gerais, mas também reuniões de base, onde realmente se encontram as pessoas comuns e suas necessidades.

“As conferências deste ano vão acontecer num momento muito especial, depois que derrotamos Bolsonaro, e estamos aqui no primeiro ano do governo Lula, momento de esperanças e de de muita luta por novas conquistas”, disse Nádia, citando, por exemplo, nesse semestre, um dia nacional de eleição dos conselheiros tutelares, Congresso da Unegro, reunião do Conselho Nacional da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e as conferências nacionais convocadas pelo governo Lula, como a de Cultura, de Juventude, entre outras.

Entre outros pontos de pauta das conferências, Nádia diz que o primeiro é discutir a situação política local, a situação da cidade, da comunidade, do estado, para compreender quais as lutas principais do Partido, planejar as tarefas, o crescimento. 

O segundo ponto de pauta diz respeito à eleição de novos prefeitos, prefeitas, vereadores e vereadoras. “Por isso, camaradas, é de fundamental importância que cada município já vá preparando a sua pré-campanha, as candidaturas junto com a nossa Federação Brasil da Esperança, composto pelo PCdoB, PT e o PV”, recomendou. 

A terceira questão de debate nas conferências é a eleição de novas direções municipais e estaduais do PCdoB. Num processo que deve ter muita participação, muita democracia e vibração. “Nós entendemos que aqueles e aquelas que serão eleitos precisam representar de fato o PCdoB, com muita vibração, firmeza e compromisso com o partido. Por isso que essas conferências precisam ser feitas com muito empenho e vontade”, afirmou, acrescentando a importância das conferências locais para aproveitar e convidar amigos, simpatizantes e outros lutadores para conhecer o PCdoB. 

Nilda apresentou os dois materiais de apoio para o trabalho de base: um boletim digital impresso chamado Alô, Camarada! E um vídeo que foi produzido em conjunto pela Secretaria Nacional de Organização, a Secretaria Nacional de Formação e Propaganda e a Fundação Maurício Grabois, que fala da importância da organização de base, da militância na base para a força e o vigor do partido. A ideia é também exibir o vídeo em cada reunião de base para novos militantes.

“O importante para nós é lembrar que o maior orgulho é ser militante do PCdoB, carregar a bandeira do partido nas manifestações, contribuir com o partido, estudar o marxismo e agrupar o nosso time. E não esquecer nunca que o nosso rumo é o socialismo”, declarou o sindicalista José Carlos.

Segundo Nádia, as conferências municipais são uma boa oportunidade de filiar mais pessoas nas comunidades, nas escolas, nos institutos federais, universidades, nas empresas, no campo e na cidade. “Vamos fazer um grande arrastão para trazer todo filiado e militante para participar das nossas assembleias de base”, concluiu.

Ministra do Governo Lula

A ministra Luciana Santos destacou o engajamento e a importância das conferências partidárias como momentos cruciais para a democracia interna e o fortalecimento do partido. Ela expressa: “Eu quero dizer que eu considero esses momentos os momentos mais altos da democracia partidária. É o momento em que a gente faz o diagnóstico da realidade, do contexto internacional, do contexto nacional e da nossa realidade local.”

A ministra enfatiza o papel fundamental desses encontros para o entendimento coletivo da realidade e dos desafios: “Esse é um exercício dialético, porque nós precisamos muito da opinião de vocês sobre a realidade locais, sobre os desafios dos partidos nos Estados. Sem esse pulso, sem essa volta, é impossível que o partido faça essa construção coletiva, da sua consciência coletiva, da sua inteligência coletiva, desse exercício tão desafiador que é conhecer a tal da realidade concreta.”

Ela prossegue abordando a importância da renovação e dos esforços de base do partido para enfrentar os desafios nacionais: “Isso é uma agenda intensa que faz parte, portanto, de revelar que nós somos um partido vivo, que tem seu trabalho de base como pilar para enfrentar os desafios do país.” A ministra também celebra o início de um programa de reconstrução nacional sob a liderança do presidente Lula: “Após um período de anos do bolsonarismo, o Brasil se reencontra consigo e sob a liderança do presidente Lula dá início a um arrojado programa de reconstrução nacional.”

Luciana Santos destaca conquistas significativas do governo Lula, como o Plano Safra, o programa para os endividados, o Minha Casa Minha Vida, o aumento do salário mínimo e o Bolsa Família de R$ 600, que começam a atender aos anseios da população e a ampliar o apoio ao presidente: “Começam a agradar a uma franja do eleitorado que não necessariamente votou em Lula em 2022.”

A ministra também menciona a melhora dos indicadores econômicos e o lançamento de um novo PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) com investimentos expressivos: “Serão 1,7 trilhões de investimentos nos próximos anos. O fato concreto é que o ambiente geral é de melhora na atividade econômica, gerando um ambiente de expectativa muito positiva.”

Ela destaca a participação do PCdoB no processo de reconstrução nacional, seja nas lutas sociais, nos movimentos estudantis e sindicais, ou no parlamento, mencionando a atuação da bancada, incluindo a liderança da deputada Jandira Feghali em investigações cruciais. A ministra também ressalta a relação política elevada do partido com o presidente Lula e a importância do programa do socialismo como guia para o futuro: “Nossa força vem da nossa inteligência coletiva, vem do debate coletivo, vem da nossa combatividade, vem da nossa perspectiva e da justeza das nossas ideias.”

Em suma, o discurso da ministra Luciana Santos evidencia o compromisso do partido com a democracia interna, as políticas públicas e a construção de um projeto nacional sólido sob a liderança do presidente Lula. Suas palavras enfatizam a importância da participação ativa dos membros do partido para fortalecer a visão socialista e enfrentar os desafios do Brasil contemporâneo.

Líder da bancada parlamentar

A deputada Jandira Feghali discursou sobre questões estratégicas da conjuntura, enfatizando a visão do partido em relação à construção de um projeto nacional de desenvolvimento. Ela destaca a importância de alinhar a democracia com o progresso do país, focando em empregos, redução de desigualdades e políticas públicas abraçadas pelo Estado. Suas palavras refletem o compromisso com a transformação da nação em uma força democrática e igualitária.

A deputada Jandira Feghali afirma: “É muito importante colar a democracia no projeto nacional, gerando inclusive emprego, superando desigualdades que são históricas no Brasil, gerando aumento de renda e afirmando políticas públicas com o papel do Estado.” Ela evidencia como a democracia se entrelaça com a busca por equidade e prosperidade, ressaltando o papel das políticas públicas e do Estado como catalisadores desse processo.

A fala da deputada também toca na relevância de um Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação robusto: “Quero dizer que há demandas importantes em várias áreas. Por exemplo, o projeto de assistência estudantil. Nós aprovamos a cota para o ensino dentro da Câmara dos Deputados, agora foi para o Senado, que é a cota racial para os indígenas e também para pessoas com deficiência e isso foi já aprovado mas tem que fazer com que as pessoas permaneçam na universidade.” Ela destaca a importância da educação inclusiva e da inovação como fatores críticos para o desenvolvimento.

A deputada ressalta o papel da bancada na articulação política e na aprovação dos principais projetos do governo: “Nós temos que entregar para a sociedade também pelas mãos do PCdoB. Nós temos que interferir dentro dos territórios, fazendo com que a comunicação se ampliada. O governo tem que pensar estrategicamente uma comunicação que chegue aos territórios, que faça disputa política de valores.” Ela destaca a importância de uma comunicação estratégica e um envolvimento ativo nos territórios para garantir que as conquistas do governo cheguem efetivamente à sociedade.

Por fim, Jandira Feghali ressalta a luta contra o retrocesso e a necessidade de enfrentar a extrema-direita: “A CPMI do 8 de janeiro está ficando extremamente quente, densa, tensionando esses processos, pautando já a Polícia Federal. E penso que a CPMI pode dar uma grande contribuição de mostrar quem foram os mandantes dos atos antidemocráticos, os financiadores dos atos antidemocráticos e a gente poder chegar inclusive ao mandante principal que é Bolsonaro e a sua trupe.” Suas palavras indicam a determinação em responsabilizar aqueles que atentam contra a democracia.

O discurso da deputada Jandira Feghali refletiu um compromisso com a construção de um projeto nacional de desenvolvimento, ancorado na democracia, equidade, políticas públicas e inovação. Suas palavras destacam a importância da atuação da bancada, da comunicação estratégica e do enfrentamento de desafios políticos significativos.

Participação militante

Vários grupos militantes do PCdoB de diferentes regiões do país participaram do evento por meio de vídeos, compartilhando informações sobre suas atuações locais. Entre as mensagens destacadas transmitidas pelos participantes, vieram de militantes de Belém (PA), de Caxias do Sul (RS), Fortaleza (CE), Rio de Janeiro (RS), Salvador (BA), São Paulo (SP), Goiânia (GO) e Belo Horizonte (MG), além das juventudes representadas pela UJS (União da Juventude Socialista) e JPL (Juventude Pátria Livre).

Cada grupo apontou vitórias e desafios de sua atuação de base em universidades, nas comunidades, movimentos, discutindo as prioridades da população mais pobre. O evento foi uma oportunidade para as diferentes bases do PCdoB em várias partes do país compartilharem suas experiências, destacarem suas atividades e discutirem temas relevantes para a luta política e social.

(por Cezar Xavier)